28/09/2018 • 00:00

A cena festivaleira no Brasil cresce e se consolida, muitas vezes em lugares improváveis. Tem o Se Rasgum, em Belém, Abril pro Rock, No Ar Coquetel Molotov e Rec Beat, no Recife, MADA, em Natal, Bananada e Goiânia Noise, na capital do sertanejo e, ali perto, em Brasília, o histórico Festival Porão do Rock.


No ano em que completa 20 anos de vida, o Festival será imortalizado numa obra à sua altura com o lançamento do livro “Histórias do Porão”. Escrito por Pedro de Luna, o único jornalista de fora a cobrir a primeira edição e autor de sete livros, a obra conta os causos de bastidores, os melhores e os piores momentos, as cenas inesquecíveis e os desafios enfrentados em duas décadas de Festival.


O jornalista e escritor Pedro Luna.


No dia 08 de agosto de 1998 foi realizado o primeiro festival Porão do Rock, mesmo nome pelo qual ficou conhecido um edifício comercial da 207 Norte, o local preferido para ensaio das bandas de Brasília nos anos 1990. Com uma produção simples e grupos de estilos variados, o evento na Concha Acústica foi a ponta de lança daquele que se tornou um dos mais importantes festivais independentes do Brasil. E um dos mais longevos. O Porão do Rock começou num agrupamento de bandas num subsolo, se tornou um grande evento e transcendeu para uma ONG, por suas diversas ações de sustentabilidade e responsabilidade social. 

Olha a galera que já tocou no Porão.

Entre as principais atrações que já tocaram no festival (ou em projetos com a marca) estão: Muse (Inglaterra), Helmet (EUA), Eagles Of Death Metal (EUA), Suicidal Tendencies (EUA), Soulfly (EUA), Cavalera Conspiracy (EUA), Kyuss Lives! (EUA), Jon Spencer Blues Explosion (EUA), Gaz Coombes (ex-Supergrass, Inglaterra), Mudhoney (EUA), CJ Ramone (EUA), Mark Lanegan (EUA), Trivium (EUA), Red Fang (EUA), The Hives (Suécia), Nightwish (Finlândia), She Wants Revenge (EUA), The Mono Men (EUA), Motosierra (Uruguai), El Mato a Un Policia Motorizado (Argentina), Symfonia (Finlândia), Os Paralamas do Sucesso, Capital Inicial, Barão Vermelho, Titãs, O Rappa, Pitty, Raimundos, Ira!, Sepultura, Ratos de Porão, Marcelo D2, Planet Hemp, CPM 22, Los Hermanos, Dead Fish, Rumbora, Plebe Rude, Lobão, Pato Fu, Angra, Korzus, Viper, Shaaman, Krisiun, Dr. Sin, Mundo Livre S/A, Nação Zumbi, Skank, Jota Quest, Natiruts, Supla, Brothers of Brazil, Autoramas, Cachorro Grande, DeFalla, Detonautas, Wander Wildner, Móveis Coloniais de Acaju, Scalene e muito mais.


Olha o lineup dos dois dias do Festival.